15651666839_5cfcdc2660_o

A garrafa de água também nos pesa (e obriga-nos a muitas viagens)

It's only fair to share...Share on Facebook0Share on Google+0Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn0Pin on Pinterest0

Hidratar, hidratar, hidratar! Esta palavra de ordem faz parte do nosso dia-a-dia. Tentamos cumprir a dose de água diária mas quantas vezes olhamos para a garrafa de água e ela está tão cheia como de manhã? É um sentimento desesperante!

Pessoalmente, adoto a estratégia de ter uma garrafa de meio litro por vários motivos.

Motivo 1

Não tenho um colapso ao olhar para 1.5L de água, que me faz logo desistir da tentativa de o beber todo. Parece que a cada golo que dou a água se auto-multiplica dentro da garrafa e nunca esvazia.

Motivo 2

Convenhamos, uma garrafa pequena pesa muito menos na mala, principalmente se for vazia. É que a água também nos pesa e não lembra a ninguém que para estarmos hidratados temos que arranjar lesões na coluna – venha o Diabo e escolha. Já basta andarmos com a marmita de um dia inteiro atrás!

Motivo 3

Permite-me variar. Adoro água e por mim é perfeita saída da torneira mas tem dias em que apetece passar para os chás reconfortantes ou experimentar combinações que a aromatizam e lhe dão cor. Ora, se eu tenho toda a minha dose diária de água numa garrafa, bebo como está e sem direito a escolha.

Motivo 4

Ajuda-me a não ter desculpas. Já se sabe, em casa de ferreiroespeto de pau e em casa de Nutricionista desculpas convincentes. “Ah e tal, não bebi água porque hoje ia muito carregada e não levei a garrafa comigo mas comi sopa e bebi um sumo.” Se lhe soa familiar, é porque também é perito em arranjar desculpas!

Um dos dramas da água é que, apesar de beber água ser muito importante, exerce aquela reação fisiológica que todos conhecemos – idas regulares à “casinha”. Quem bebe água consegue identificar à distância os seus comparsas. Basta ver alguém a ir e vir de 15 em 15 minutos para nos sentirmos solidários. Vendo sempre o lado positivo, considero este efeito fantástico: hidratamos, eliminamos toxinas e ainda levantamos o rabo várias vezes da cadeira e mexemos as nossas pernas.

Também partilhamos consigo os seus dramas hídricos e sabemos o quanto custa. No entanto, encare o desafio da água antes que a ausência da água o pare a si!

T.

Facebook Comments